Resenha: Insurgente

  

Título: Insurgente – Uma escolha pode te destruir. 

Autora: Veronica Roth 

Editora: Rocco editoras. 

Páginas: 512 

Classificação: 5 estrelas – favoritado

Sinopse: Uma escolha poderá destruir tudo!

Mais uma inebriante e emocionante história, repleta de reviravoltas, corações partidos, romance e poderosas revelações sobre a natureza humana. Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas.
Em Insurgente, segundo volume da bem-sucedida série de distopia que conquistou os fãs de Jogos Vorazes e alcançou o primeiro lugar na disputada lista dos mais vendidos do The New York Times, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama e a própria vida enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.

Terminei de ler Insurgente e fiquei parada olhando pro teto do meu quarto no silêncio da madrugada me perguntando como a Veronica consegue ser tão destruidora no final de todos os livros, sério. 

Divergente e Insurgente são livros de não acreditar o que acontece no final, você fica tipo: ISSO TA ACONTECENDO MESMO? É sim, ta acontecendo! 

Depois do acontecido no final de Divergente (não falo pois vai ser um grande spoiler), a cidade está praticamente destruída, e Tris volta a sua vida com traumas, porém, isso não deixa o livro em nenhuma hora chato, porque não foca somente no trauma, e também da pra entender os motivos que a deixaram desse jeito. Vi muita gente reclamando que ela chorou muito, não achei que ela chorou muito. 

Tobias (Ou Quatro, como preferirem), passa a aparecer mais nesse livro, por causa de algumas brigas e atitudes dele (e eu to cada vez mais apaixonada por esse homem!). 

Insurgente contém mais ação que Divergente (eu achei), por que maior ação de divergente está no final, e de Insurgente já começa com um pouco de ação, o que achei ótimo! A Veronica consegue criar situações de realmente tirar o fôlego. Se você pensa que Insurgente vai conter o mesmo amor que teve em Divergente, podem saber que não, isso pode ser bom para alguns e ruim para outros. 

Porém uma coisa que irrita um pouco em Insurgente é o jeito dela de querer ser independente, de fazer algumas coisas pensando somente nela, de se afastar de algumas pessoas por certas atitudes… Mas acho que isso serviu como uma “lição” pra ela. 

Nesse livro é começado a meio que desvendar o porque do início da criação das facções, o porque de tanta luta, quem está por trás disso tudo, e outros. 
O ruim é que não posso contar muito porque se não vou dar spoiler, mas digo, vale muito a pena a leitura! Já estou louca pra ler Convergente e assim que terminar faço a resenha para vocês. 

Se você quiser ler a resenha de Divergente clique aqui. Você já leu esta distopia ? O que acha dela ? Ela vem me surpreendendo a cada página que leio e juro, vale cada página lida! 

Beijos ❤️

(Eu to pensando depois em fazer uma super resenha da série inteira com alguns spoiler que não vão estragar o livro, se quiserem ler faço pra vocês 😊) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s